Como atenuar a perda de colágeno após os 30 anos?


O colágeno é considerado a proteína da beleza. E isso não é em vão, já que é ele que mantém o tônus, firmeza e elasticidade da pele. No entanto, a partir dos 30 anos a produção dessa substância pelo organismo começa a diminuir, o que ocasiona a flacidez. No caso das mulheres, a perda de colágeno é ainda maior nos períodos da pré-menopausa, climatério, pós-menopausa e durante outras alterações hormonais comuns na vida de toda mulher.


Assim, para manter a cútis em dia, além de adotar uma rotina de cuidados e hábitos saudáveis, existem procedimentos que podem ajudar. Entre eles, os bioestimuladores de colágeno vêm se destacando. Eles estimulam o corpo a produzir o colágeno, melhorando a qualidade da pele progressivamente.


Bioestimuladores no combate a perda de colágeno:


A falta de colágeno pode acelerar o processo de envelhecimento da pele, uma vez que junto da diminuição dessa proteína acontece a perda da hidratação e elasticidade, ocasionando o aparecimento de rugas e estrias. Os bioestimuladores são ativos que estimulam a produção do colágeno e promovem um efeito rejuvenescedor, com resultado natural e progressivo, prevenindo e tratando a flacidez da pele. Ao serem injetados, eles dão mais firmeza, textura e brilho ao induzir a formação de novos fibroblastos, e, com isso, estimular a produção do colágeno pelo próprio corpo. Entre os mais utilizados estão a hidroxiapatita de cálcio e o ácido polilático, mais conhecidos pelos nomes comerciais Radiesse e Sculptra.


Ultraformer 3 no combate a perda de colágeno:


O Ultraformer III é um aparelho de última geração que revolucionou o mercado. Sua atuação se dá através da redução da flacidez, combate à gordura localizada e do estímulo de colágeno. Ele possui dois transdutores: um deles é o macrofocado, que é indicado para tratamentos de lipólise de gordura localizada, enquanto o outro, microfocado, é mais utilizado para procedimentos que combatem a flacidez e estimulam colágeno nas áreas aplicadas.


Seus ultrassons funcionam entregando energia térmica em pontos de foco do tecido, criando microlesões. Assim, surge uma zona de coagulação que ativa o sistema imunológico e estimula o processo de cicatrização e reparação do tecido, promovendo a formação de novas células colágenas.


Associando os dois tratamentos:


Quando associamos o uso do Ultraformer 3 com os bioestimuladores conseguimos um verdadeiro "boom de colágeno". Essa associação pode acontecer em um mesmo momento, aumentando em até 6x o estímulo de colágeno.


Alimentação - matéria prima para a formação do colágeno:


Por ser uma proteína, o colágeno é formado por aminoácidos, três em específico: lisina, prolina e glicina. Logo, para fornecer matéria prima para o organismo, é preciso incluir alimentos ricos nesses nutrientes em sua dieta, por meio de uma alimentação equilibrada e variada com carnes, peixes, óleo de peixe, gelatina, leite desnatado, frutas cítricas, castanhas, amendoins, entre outros.


Colágeno via oral ajuda?


A resposta é sim, mas é importante esclarecer que estamos falando da suplementação oral de colágeno hidrolisado, também chamado de peptídeos de colágeno, em que a cadeia de aminoácidos que forma o colágeno é quebrada em pedaços menores, tornando-o assim mais fácil de ser absorvido pelo nosso organismo. Para quem está realizando procedimentos como os citados anteriormente, a ingestão de colágeno via oral funciona como um meio de fornecer matéria prima para as novas células colágenas que estão sendo estimuladas a surgirem.


Gostou desse conteúdo? Nos siga nas redes sociais @clinicabadra & @drabadracapita.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo